sexta-feira, 20 de abril de 2018

Clássico do dia (e analise) : As Pontes de Madison


Você abriria mão da sua família por um amor?

          As Pontes de Madison é um filme de 1995, estrelado pela Meryl Streep e o Clint Eastwood, que também dirige o filme e sai completamente de sua zona de conforto, tanto na atuação, quanto na direção.
          Esse filme é a adaptação de um livro que apresenta Robert (Clint) um fotografo do National Geographic que vai fotografar as pontes de Madison, na cidade de Iowa, e lá conhece Francesca (Meryl) uma dona de casa que está sozinha, pois seu marido e seus filhos estão fora participando de uma competição.

Review filme Um Lugar silencioso


          É muito raro quando um filme de terror se destaca por suas qualidades técnicas e recentemente alguns filmes desse porte foram surgindo, como Invocação do mal, A Bruxa e Corra! (não podemos esquecer de Fragmentado) e quando um filme desses pega algo tão inabitual como o silêncio, trabalha com ele brilhantemente e imerge a audiência nele, até mesmo nas salas de cinema, devemos dar lhe crédito.
          Uma família vive em uma fazenda no interior dos EUA, que foi tomado por criaturas que são sensíveis ao som e por isso essa família deve ficar em absoluto silêncio.

Review Livro e filme Com amor, Simon


          Uma pessoa conhece outra pessoa, eles começam a conversar, se conhecer e se apaixonam. Esse é Love, Simon, um romance sobre essas pessoas que se gostam, mas enfrentam certas questões para ficarem juntas. Essa premissa pode ser confundida com tantas outras por ai, a única diferença aqui é que esse casal é gay, na verdade, pode ser diferente para alguns, enquanto outros vivem esse dilema todos os dias, inclusive o dilema de “sair do armário”. Seja gay ou hetero, esse filme é sobre amor, portanto esse filme é para você.
             Simon é um adolescente que ainda não contou para as pessoas que é gay e ele se apaixona por Blue, um rapaz misterioso que estuda em sua escola e que ele se corresponde por email, até que Martin descobre os emails e começa a chantagea-lo.

sexta-feira, 6 de abril de 2018

Review Jogador numero 1


          É inegável que o cinema atual tem certo encantamento pelos anos 80. Sejam aqueles cineastas que viveram e fizeram filmes naquela época ou aqueles que eram adolescentes e se inspiraram nos filmes e nos diretores do primeiro grupo citado. Os anos 80 foi uma década incrível para o cinema, a musica, os programas de TV e etc... e é através desse saudosismo que vive Jogador Numero 1, novo filme do Steven Spielberg, um dos diretores que fez coisas magníficas naquela década.
          O ano é 2044 e a humanidade está um caos, a única válvula de escape é o Oasis, um mundo virtual criado por James Halliday, que morreu, mas antes disso escondeu easter eggs no jogo, para que alguém encontre e se torne o dono dele.

sábado, 3 de março de 2018

Indicados ao Oscar: Review Artista do Desastre



Hi Mark!

          Um dos filmes exibidos no Festival do Rio, Artista do Desastre, surpreendeu por ser um filme dirigido e atuado por James Franco. Porém, o mais surpreendente foi ver como o público estava recebendo bem o filme, tanto que foi indicado aos principais prêmios de algumas premiações e ganhou alguns, e apesar de tudo estar indo bem, as polêmicas relacionadas ao James ofuscou a qualidade de seu trabalho. Merecidamente.
         Tommy Wiseau e Greg Sestero são atores que se mudam para Los Angeles para fazer sucesso em Hollywood, sem muitas ofertas eles decidem fazer seu próprio filme e ele se torna um clássico cult dos piores filmes já feitos.

sexta-feira, 2 de março de 2018

Indicados ao Oscar: Review A Forma da Água


          Com uma mistura de conto de fadas, filme de monstro e homenagem ao cinema, A Forma da água é talvez o filme do Oscar que mais se aproxima do grande publico, ao mesmo tempo em que pode repelir alguns graças à sua coragem de insinuar sexo entre espécies diferentes e tratar com naturalidade coisas como a masturbação. Além das criticas sociais que ele traz. Porém, a beleza do filme é inegável, tanto em sua estética caprichada, quanto na estória contada.
            Elisa é uma mulher muda que trabalha em um laboratório e lá seu patrão inescrupuloso mantém em cativeiro um homem anfíbio por quem ela se apaixona e planeja a fuga dele.

Indicados ao Oscar: Review I Tonya


          Classificado como comédia no Globo de ouro, esse filme está mais para um drama cheio de personagens problemáticos (mas não no sentido de má construção) que agem de forma tão absurda que faz algumas cenas parecerem cômicas de tão improváveis.
            O filme acompanha a vida de Tonya Harding, uma ex-patinadora dos anos 90 que teve altos e baixos na vida e na carreira.
          Tonya foi uma patinadora impressionante, o filme mostra como desde nova ela tinha paixão pelo que fazia e mesmo que a mãe a pressionasse muito, ela gostava de patinar e desde muito nova já estava nas pistas de gelo. Seus movimentos no esporte com certeza inspiraram muitas patinadoras pelo mundo, mesmo que ela não seja tão conhecida assim no mundo fora dessa modalidade (pelo menos não por mim e pelas pessoas que conversei), mas toda sua dedicação e amor pela patinação trazem como pano de fundo uma vida muito triste e relacionamentos conturbados.